Preço ao produtor: queda em outubro e perspectivas negativas para novembro

O Cepea-Esalq/USP divulgou hoje o preço do leite captado em setembro e pago em outubro, na “Média Brasil” Líquida. O valor fechou em R$ 2,3305/litro, 2,2% abaixo do observado em setembro – o que equivale a cerca de 5 centavos por litro. Esta é a primeira desvalorização do leite no campo em seis meses. Devido à sazonalidade da produção de leite no Brasil, é normal observar uma queda do preço do leite ao produtor a partir de setembro, diante da maior oferta favorecida pelo retorno das chuvas e consequente melhora das pastagens.



29/10/2021 - O Cepea-Esalq/USP divulgou hoje o preço do leite captado em setembro e pago em outubro, na “Média Brasil” Líquida. O valor fechou em R$ 2,3305/litro, 2,2% abaixo do observado em setembro – o que equivale a cerca de 5 centavos por litro. Esta é a primeira desvalorização do leite no campo em seis meses, como pode ser

observado no gráfico abaixo:



Devido à sazonalidade da produção de leite no Brasil, é normal observar uma queda do preço do leite ao produtor a partir de setembro, diante da maior oferta favorecida pelo retorno das chuvas e consequente melhora das pastagens.


O Cepea também observou uma melhor relação de troca do leite frente ao milho (um dos principais custos da produção) em setembro, sendo precisos 38,8 litros de leite (média Brasil) para se adquirir uma saca de milho 60 kg (Indicador ESALQ/BM&FBovespa Campinas-SP), melhora de 7,2% no poder de compra do pecuarista frente ao observado em agosto.


Esta melhor relação de troca do leite frente aos insumos também refletiu no índice Receita Menos Custo com Ração (RMCR), calculado pelo MilkPoint Mercado, que teve leve alta de 6,15% em relação a agosto, como mostra o gráfico abaixo:



A melhor relação de troca do produtor, ainda que pequena, também pode ter influenciado numa maior produção e oferta de leite, além da sazonalidade. Contudo, ainda assim, este aumento é muito mais lento do que o observado no ano passado, refletindo a menor rentabilidade do produtor em 2021 e as dificuldades da produção principalmente em relação aos altos custos. A título de comparação, em setembro de 2020, por exemplo, eram necessários 28,2 litros de leite para a compra de uma saca de milho, segundo o Cepea.


Outro fator importante que tem afetado o mercado é a forte retração da demanda, que também teve peso na retração dos preços no campo. A perda de poder aquisitivo do consumidor tem desacelerado as vendas de lácteos desde meados de agosto.

OPINIÃO MILKPOINT MERCADO

Segundo a equipe do MilkPoint Mercado, a expectativa para a queda de preços em outubro (leite fornecido em setembro) era até maior, em função da conjuntura de mercado. O ponto mais crítico neste momento é a situação da demanda final por lácteos, bastante comprometida por conta da situação econômica do país e dos preços (ainda altos) dos lácteos no varejo.


De fato, vivemos no momento uma espécie de "tempestade perfeita" no mercado, com produção menor que no mesmo período do ano passado, mas demanda também em queda. A expectativa para o preço pago em novembro é de queda bem mais forte do que em outubro (fala-se em 20 a 30 centavos de queda).


Um ponto a se destacar, no entanto, é que é consenso no mercado a pouca oferta – seja via produção ou mesmo importações. Uma leve reação de demanda (vamos lembrar a perspectiva do novo auxílio emergencial) pode alterar rapidamente o cenário de mercado e isso reduz o "apetite" da indústria por reduções mais fortes, ainda que suas margens este ano estejam bastante comprometidas.


É um xadrez intrincado e de difícil previsão!


Fonte: Milkpoint

14 visualizações