Embrapa: ano começa agitado no leite

O ano de 2022 começa bastante agitado no Brasil. Os casos de Covid cresceram com a variante Omicron, mais transmissível. No início de janeiro, registrou-se um volume bastante elevado de chuvas no Sudeste e forte seca, com altas temperaturas, no Sul do Brasil. No mercado de leite, a questão climática tem tido um impacto bastante acentuado nos últimos anos, com reflexo negativo nas safras de grãos, pastagens e produção de silagem. A presença do fenômeno "La Nina" no final de 2021 e início de 2022 tem causado chuvas irregulares e estiagens prolongadas no Sul do Brasil.



17/01/2022 - Em dezembro, o espaço para recuos no atacado foi maior, em função do aumento da captação de leite e do consumo fraco. Já no varejo, com uma procura maior por alguns produtos, os preços aumentaram.


No atacado, considerando a média dos produtos e estados monitorados pela Scot Consultoria, a queda foi de 0,3% no mês.


O preço do leite longa vida (UHT) no atacado segue em queda. Na comparação mensal o recuo foi de 1,7%.


Com as quedas consecutivas do preço do leite UHT nos últimos meses, na comparação anual a cotação está apenas 4,5% maior.



No mercado varejista, os preços dos lácteos seguiram em sentido contrário ao atacado e houve aumento nos preços.


Considerando a média de todos os produtos pesquisados em São Paulo, em relação a novembro/21, os preços subiram 3,3%.


Já em Minas Gerais, Paraná e Rio de Janeiro, considerando a média de todos os produtos pesquisados no varejo, os preços variaram, respectivamente, 6,9%, -6,0% e 2,9% na comparação mensal.


Fonte: Scot Consultoria

4 visualizações