top of page

Atualização das normas sobre o uso da Fucsina Magenta nos queijos com a famosa "casca rosa" e aditivos alimentícios

 

Na tarde do dia 03 de julho, a professora Cristina Mosquim, médica veterinária pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com especialização em Ciência dos Alimentos pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), ex-professora da UFV e consultora do Sindicato da Indústria de Laticínios do Estado de Minas Gerais (SILEMG), da Associação Brasileira das Indústrias de Queijo (ABIQ) e da Viva Lácteos, conduziu um encontro virtual exclusivo para associados. O evento contou com a participação de mais de 50 pessoas.

 

Uma das pautas da reunião foi o uso da Fucsina Magenta, comum nos queijos tipo Reino, Gouda, Prato Bola, entre outros. Também foi discutida a Instrução Normativa (IN) nº 286, de 08 de março de 2024, emitida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que aborda o Regulamento Técnico do Mercosul sobre aditivos para produtos lácteos.

 

A normativa estabelece um prazo de 18 meses, a partir de abril de 2024, para que os produtos que utilizam a fucsina magenta possam ser comercializados. Durante esse período, fabricantes e produtores devem buscar alternativas para a substituição do corante, garantindo que todos os produtos atendam aos novos requisitos.

 

Além da fucsina magenta, a medida também se estende a outros aditivos, reforçando a premissa de que os alimentos sejam cada vez mais naturais. Cristina Mosquim ressalta a importância de escolher fornecedores que cumpram as novas normas, assegurando a qualidade e a segurança dos produtos lácteos.

 

Ao final do encontro, Cristina abriu espaço para sanar dúvidas dos participantes e reafirmou a importância de manter a indústria informada e preparada para as questões regulatórias, garantindo assim a saúde dos consumidores e a qualidade dos produtos no mercado.

 

Confira a norma na integra aqui .



Fonte: SILEMG


Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page